Crássicos: Pirates, do Emerson, Lake and Palmer

elp

Eu nunca tinha ouvido Pirates até ano passado, quando fui a uma apresentação da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo. Eles tocariam uma peça do Rick Wakeman (ex-tecladista do Yes), chamada Os Mitos e Lendas  do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda, com participação do André Matos nos vocais. Como fã do Rick e do André, fui lá assistir e, caramba, que espetáculo sensacional! Eu não sei como funciona a agenda da grupo, mas se você tiver a oportunidade de assisti-los, faça isso. Além da orquestra, tem uma banda com instrumentos elétricos comuns e até um tecladista com vários teclados Moog. É impressionante o entrosamento dos músicos.

Mas voltando ao assunto do post, antes deles executarem as músicas de Rei Arthur, tocaram uma peça do ELP que eu nunca tinha escutado antes. Pirates é uma obra de arte no sentido mais amplo da expressão. Une as melhores características do rock progressivo com arranjos de orquestra muito bem encaixados e uma interpretação vocal soberba. Se tornou uma das minhas músicas de prog favoritas, sem sombra de dúvidas.

Saca só:

Se não me engano, deve ter também um vídeo com essa versão da Banda Sinfônica com o André Matos. Deixa ver se acho aqui pra vocês verem.

Achei!

A qualidade não tá aqueeeelas coisas, e a pessoa que filmou só deixou a câmera no André (a banda é gigante, tem gente pra caramba tocando), mas dá pra ter uma ideia de como é a coisa toda ao vivo. Ó:

Você pode gostar...