Review: Animals, do Pink Floyd

pink_floyd_animals

Resolvi escrever sobre esse disco por algumas razões. Uma delas é que Animals é um dos maiores clássicos não só do Pink Floyd mas do próprio rock progressivo. É raro encontrar um fã que não conheça esse disco dos caras. Outra razão é a onda de protestos que tão acontecendo no país todo. Apesar de ser um trabalho musicalmente “tranquilo” (mesmo nas músicas mais agitadas), as ideias por trás do Animals têm tudo a ver com o que está acontecendo no Brasil atualmente.

Pra quem não sabe, Animals é baseado no livro Animal Farm (A Revolução dos Bichos), de George Orwell. No livro, os animaizinhos de uma fazenda armam um motim e tomam controle das terras, expulsando o antigo dono. Não vou dar spoiler, mas já deu pra sacar que o clima do livro tem muito a ver com o que tá rolando aqui nas terras do Silvio Santos.

Animals foi um dos primeiros trabalhos do Floyd que ouvi, e um dos que mais gosto até hoje. O feeling tranquilo (e psicodélico em boa parte) embalou uma época legal da minha vida. Saindo de novo das músicas e falando do que cerca esse álbum, um fato curioso é que foi na turnê de Animals que ocorreu o fatídico cuspe do senhor Rogério Águas em um fã que estava lhe aborrecendo, fato esse que acabou servindo de inspiração pro aclamado The Wall. Apesar do ótimo trabalho na área musical, foi no disco com o porco voador na capa que a banda afundou numa fase complicada, que só seria afastada de vez no The Division Bell (outro patcha trabalho. Há quem diga que eles acabaram o grupo na hora certa).

As músicas de Animals foram quase todas criadas pelo Roger, com a exceção de Dogs (a minha favorita, sem pedir ajuda dos universitários nem das placas), que foi praticamente inteira escrita pelo David Gilmour, e não precisa nem de teste de DNA pra sacar isso. Dogs reúne as melhores qualidades do Gilmour em uma única música sensacional. Os acordes iniciais são de arrepiar até o pelo do sovaco, de tão fantásticos.

Outros 2 destaques são as timbragens e levadas de cada instrumento e as letras. A produção ficou impecável em cada detalhezinho, tanto que, até hoje, não é sempre que a gente encontra trabalhos com o mesmo nível de lapidação (existe essa palavra? Se não, rabisca o Aurélio aí e inclui ela). As letras, apesar de serem baseadas no livro de George Orwell, vão para um rumo diferente do descrito no livro, e incluem várias ótimas reflexões e também algumas críticas a figuras políticas. Vale a pena prestar atenção.

Mesmo depois de décadas após seu lançamento, Animals é um disco com vitalidade invejável, que tem um clima curiosamente oposto ao que a banda vivia na época em que compunha as músicas. Ouvir cada faixa é como visitar velhos amigos. O álbum pode não ser o mais popular do Floyd (ou o mais lembrado pelo grande público), mas com certeza é um trampo riquíssimo que ainda vai falar com muitas e muitas gerações de fãs.

Tracklist:
01. Pigs on the Wing – pt.1
02. Dogs
03. Pigs (Three Different Ones)
04. Sheep
05. Pigs on the Wing – pt.2

Você pode gostar...