Review: Long Road, do The Leprechaun

CD Digipak (4 Panel One Pocket) [CDDG4T1-004]
Sempre gostei demais de folk e música celta (aliás, já até toquei numa banda do estilo tempos atrás), e conhecer os paulistas do The Leprechaun foi uma grata surpresa, pois grande parte das bandas que faz música nessa pegada é de fora do Brasil. O Leprechaun faz um som diferente de muita coisa que você já ouviu, com certeza.

Antes de continuar a falar do grupo, devo agradecer ao pessoal do Som do Darma, que me enviou o disco Long Road. Muito obrigado pela confiança, amigos!

Pra você entender como funciona a máquina, saca só o clipe da música Hold the World:

A primeira coisa que reparei (e achei sensacional) foi a arte do CD e do próprio clipe, que seguem uma linha bem maluca. Já te colocam no clima do que está por vir quando você ouve o disco todo. Além dos instrumentos tradicionais de banda, também tem coisas como bandolim e violino, que dão o charme pras músicas e dão um ar meio country pra parada também. Quanto mais maluco, melhor (e acredite, a banda vai longe nessa ideia!).

O que eu mais gosto em Long Road é que as músicas são divertidas pra caramba de escutar. O Leprechaun conseguiu criar um estilo próprio muito bacana, e que deve deixar os shows fantásticos. Esse lado experimental do grupo é um atrativo e tanto, que foi explorado de maneira exemplar nesse novo trampo. Mesmo com toda a maluquice do experimentalismo, as canções têm uma pegada pop (especialmente nos refrões), que fazem o trabalho todo ser digerido mais facilmente. Admiro muito as bandas que conseguem mesclar esses dois lados.

Outra parada que não posso deixar de citar aqui é a qualidade dos músicos, que nos presentearam com composições e performances espetaculares. Long Road não deixa a peteca cair em nenhuma faixa, mesmo nas mais lentas. É um clima de jam muito gostoso de ouvir, que faz você sentir em um ambiente cheio de gente dançando.

Minhas favoritas de Long Road são Hold the World e Hello, Stranger.

The Leprechaun no Facebook

Você pode gostar...